10 Motivos para Visitar o Alentejo Novamente

UNESCO World Heritage Site, particularly in ÉvoraO Alentejo ocupa cerca de um terço da superfície de Portugal, o que representa muitas oportunidades para os turistas encontrarem motivos singulares, que tornem a sua visita inesquecível. Confira 10 motivos para visitar o Alentejo novamente.

  • Desporto e Aventura: acelere a fundo na pista do kartódromo de Évora, atreva-se a experimentar um curso de páraquedismo no aeródromo da mesma cidade, ou percorra as inúmeras ecopistas que atravessam a região.
  • Património Mundial da UNESCO, nomeadamente em Évora, verdadeira cidade-museu. Lembre-se de que o Alentejo também inclui Património Imaterial, nomeadamente o Cante Alentejano.
  • As praias do Litoral Alentejano. Encontrará praias urbanas, como Vila Nova de Milfontes, paraísos do surf, como a Arrifana, e lugares carregados de História, como Sines.
  • Praias fluviais, nomeadamente a praia fluvial da Mina de S. Domingos, uma das melhores da Europa.
  • Os vinhos. O Alentejo já é uma certeza em termos do reconhecimento de Portugal enquanto destino enoturístico; os portugueses conhecem os vinhos alentejanos dos seus supermercados e vêm aqui para saber mais.
  • Birdwatching. A lagoa de Santo André e o Parque Natural do Vale do Guadiana são alguns dos locais mais procurados pelos apaixonados pela Natureza e pela observação de aves.
  • Arraiolos. Além dos tapetes que a tornam célebre, a vila possui ecopistas com fartura para pedalar e um curioso castelo medieval circular – um dos poucos que há no mundo com este formato.
  • Observação de estrelas. Reguengos de Monsaraz quis ir além dos vinhos e aproveita a ausência da luminosidade artificial das grandes cidades, bem como a raridade das neblinas e nevoeiros, para convidar os apaixonados pela astronomia para sessões de observação.
  • Marvão e Castelo de Vide. A Serra de São Mamede existe para nos mostrar que o Alentejo não é só planície.
  • Elvas. Se só conhece a cidade da canção de Paco Bandeira, ficará surpreendido. Imaginará um exército espanhol com dificuldades para tomar as muralhas da cidade e em qualquer café arrisca-se a encontrar um alentejano a dedilhar um guitarra, durante uma pausa.