Roteiro Turístico por Évora e Arredores

Évora continua a ser considerada a capital do Alentejo e foi durante séculos uma das mais importantes cidades portuguesas. Veja o que pode encontrar na cidade e nos arredores.

A cidade

Évora merece, pelo menos, um fim de semana prolongado para apreciar devidamente tudo o que tem para oferecer. Para saborear o Alentejo, é preciso desacelerar e adotar um ritmo mais tranquilo. Afinal, para quê correr, se no fim todos seremos pó? É esta a mensagem filosófica transmitida pela Capela dos Ossos, construída no século XVII e decorada com… crânios. “Nós, ossos, que aqui estamos, pelos vossos esperamos” é a mensagem à entrada. Diz-se que os frades quiserem resolver um problema prático, ao mesmo tempo que transmitiam a ideia da transitoriedade da vida, com um resultado impressionante.

Repare que a Capela dos Ossos é apenas um dos inúmeros pontos de interesse cultural desta cidade Património da Humanidade. Percorrendo o centro a pé, rapidamente chegará ao colégio Espírito Santo da Universidade, ao Templo Romano, à Sé, ao Fórum Eugénio de Almeida e ao Museu de Évora. Durante a sua estadia na cidade, procure a Balluta, a cerveja artesanal fabricada com bolota e inventada na cidade.

Próximo de Évora

  • Near ÉvoraEm Montemor-o-Novo, vá até à loja Artidina, que continua a confecionar e a vender o tradicional capote alentejano.
  • O circuito megalítico de Évora é uma prova do quão importante foi esta região para as populações pré-históricas que aqui viveram. O Circuito inclui o Cromeleque dos Almendres, o Menir dos Almendres, a Anta Grande do Zambujeiro e o Alto de São Bento. Deste ponto, à saída da cidade, obtém-se uma grande panorâmica sobre o conjunto urbano.
  • No Alandroal, além do castelo, vale a pena ir até à fortaleza de Juromenha, uma das praças fortes de defesa do Guadiana.
  • Independentemente da sua opinião sobre a questão de Olivença, anexada por Espanha há dois séculos, é interessante ir até esta vila para descobrir o património português. Chama a atenção a porta dos Paços do Concelho, em evidente estilo manuelino. Para todos os efeitos, a vila chama-se Olivenza, e o castelhano é o idioma utilizado.